Tag: Repressão

A Prisão de Boulos é declaração de guerra.

A Prisão de Boulos é declaração de guerra.

Em Destaque, Sociais
Por Leandro Aguiar Vivemos uma conjuntura “sui generis” onde a direita está organizada, as facções criminosas (ainda que em rota de colisão) estão organizadas, mas a esquerda que é a base dos ditos movimentos sociais organizados não estão e a prisão relâmpago de Guilherme Boulos é um exemplo disso. É evidente que a prisão foi política na medida em que a própria ação da reintegração de posse também é, mas a questão que fica no ar é a seguinte: “O que faremos com isso?” Será que seguiremos abrindo mão dos vacilos que os governos dão para nos reorganizarmos? Notem a fraca e preconceituosa argumentação do comando do destacamento policial que esteve no local: “...incentivou” os integrantes do movimento a lançar objetos contra a Polícia Militar. “Ele (Boulos) tem um nível sociocultural muito
Bem vindo a 1964.

Bem vindo a 1964.

Nacional
"É de responsabilidade do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República a coordenação das atividades de inteligência no âmbito da administração pública federal e nesse sentido os órgãos e as entidades da administração pública federal deverão considerar, em seus planejamentos, as ações que concorram para o fortalecimento do Sistema Brasileiro de Inteligência." Este até poderia ser um texto de Geisel ou Médici, mas não, é um texto assinado pelo Presidente Golpista Michel Temer, no texto ele recria a SNI, medida que entrou em vigor em 29 de junho de 2016. Segundo o texto a Política Nacional de Inteligência (PNI), atende aos parâmetros da Constituição Federal, tratados, acordos e demais instrumentos internacionais de que o Brasil é signatário estabelecendo “pressu
Agressão na “encolha”.

Agressão na “encolha”.

Sociais
Após fim do 5° grande ato PM e seguranças da via amarela agridem e humilham lutado@s e usuári@s do metrô. Cheguei britanicamente as 17:00, ocasionalmente encontrei com companheir@s chegavam com suas bandeiras enroladas via metrô (Estação Faria Lima), no Largo da Batata já tínhamos milhares, de um lado quatro ou cinco mil manifestantes que aos poucos ganhavam "corpo" e do outro mais de mil soldados já se "montavam" com suas armaduras medievais. As fotos que vão ver ocorrem desde o primeiro momento onde acompanhei todo o rito de preparação com concentração e assembléia para definição da pauta para definição do trajeto com o acompanhamento de perto pela a PM que a esta altura já formava um cinturão (também ritual) no entorno dos manifestantes que após "vencerem" a burocracia da assembleia a